O começo


“Uma curtida na foto,
Uma conversa no direct,
“Chama no WhatsApp”
“E aí tudo bem?”
“Gostei de você,”
“Quando vamos nos ver?”
“Que tal no próximo final de semana?”
“Ótimo, você paga o litrão hahaha”

Assim começa uma relação,
O suor da cerveja gelada escorre no copo,
Um, dois, três encontros,
O suficiente para a paixão começar a pulsar nas veias,

As mensagens de bom dia,
“Como foi o seu dia”
“Você é especial”
“Quando a gente vai se ver de novo?”

Aos poucos são substituídas por doses homeopáticas de silêncios,
Aos poucos tornam-se palavras vazias,
Depois responde-se por educação ,

Mas há alguém que sempre se apega,
E outro alguém que facilmente o apaga,
Arquiva a conversa,
“Próximo contato”

As lágrimas escorrem pelo rosto,
O amor escorre pelo ralo,
E a relação termina por onde começou,
Por uma rede social,

E eu detestando assumir que Bauman estava certo.

Vivemos tempos de amores líquidos,
Nada é feito pra durar… Mas ainda me pergunto, será?

No fundo eu ainda acredito na solidez de um amor real.”